O financiamento da actividade económica: autofinanciamento e financiamento externo


1. Distingue capacidade de financiamento de necessidade de financiamento. 
Capacidade de financiamento é o fruto de poupança realizada, possui os recursos financeiros à sua atividade. 
Se a empresa não possuir recursos próprios suficientes, terá a necessidade de financiamento que são os juros de outros agentes económicos.
2. Distingue financiamento externo de financiamento interno ou autofinanciamento. Financiamento interno ou autofinanciamento é quando utilizamos recursos que são nossos. Financiamento externo quando utilizamos recursos de terceiros.
3. “Nenhum pai considera seguro emprestar dinheiro aos filhos!”
Explica como esta falta de confiança está na base do modelo de negócio dos bancos, distinguindo a taxa de juro das operações activas da taxa de juro das operações passivas. 
Nenhum pai considera seguro emprestar dinheiro aos filhos porque pode não receber de volta. A taxa de juro das operações activas é cobrada pelos bancos aos beneficiários do credito. A taxa de juro das operações passivas é paga pelos bancos aos depositantes.
4. São elementos do crédito: a confiança, o risco, o tempo e as garantias. 
Explica a relação destes elementos com a taxa de juro. 
Confiança- Só se concede credito imaginando que o devedor honrará a sua divida.
Risco-Há sempre alguma probabilidade de o devedor não pagar.
Tempo-o crédito é concedido por determinado prazo.
Garantias- pessoas quando terceiro corresponde pela dívida com o seu património.
5. Explicita o conceito de criação de moeda. 

6. Distingue as Instituições Financeiras Monetárias das Instituições Financeiras Não Monetárias. 
Instituições financeiras monetárias são as que criam moedas, recolhendo depósitos e concedendo empréstimos, entre outros serviços como: emissão de cheques, de cartões de débitos, aluguer de cofres, etc.
Instituições Financeiras Não Monetárias não podem receber depósitos, mas concedem credito financiado através da emissão de obrigações e de créditos.

7. Distingue acções de obrigações, quanto:
a) Ao risco;
b) À rendibilidade;
c) À liquidez

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Lei dos Rendimentos Decrescentes

Consumismo e consumerismo

A Economia como Ciência Social